12 novembro 2006

Domingão família

Meu domingo hoje foi do tipo "família suburbana".

Espero que ninguém se ofenda com o termo e entenda que não é revestido de preconceito, apenas de constatação.

Os cariocas sabem que existe uma espécie de rixa entre quem mora na zona sul e quem mora na zona norte. Não é nada agressivo ou grave, mas existe.

Também é fato que o modo de vida difere entre as duas regiões. Embora tenha sido criada na zona sul, transitei bem entre os dois mundos durante infância e adolescência, porque tinha primos morando na zona norte, sempre os visitava e algumas vezes ficava para passar uma semana durante as férias. Cresci em apartamento, mas experimentei a sensação de viver em casa, conhecer os vizinhos e colocar cadeiras na porta pra bater papo, coisas típicas da zona norte, do subúrbio. Pra quem não sabe exatamente do que estou falando, o melhor meio de entender o modo de vida suburbano é assistindo A Grande Família

Entretanto, sendo moradora da zona sul, não poderia deixar de tomar partido na rixa zona sul x zona norte. Tudo muito bem, até que os caminhos da vida me trouxeram para a Tijuca (que só poderia ficar na zona norte). No começo não gostei, porque estava acostumada ao movimento caótico e frenético das pessoas e do comércio no outro lado da cidade. Com o tempo, me conformei, me acostumei e depois passei a gostar. Gostei tanto que quando surgiu a oportunidade de comprarmos, eu e meu marido, um apartamento financiado, adivinhem o bairro escolhido? Não mudamos nem de prédio, só de andar!

Adoro a nossa rua. Tem edifícios de apartamentos, mas também muitas casas. Os vizinhos são simpáticos, a gente conhece o dono da banca de jornal, o dono da casa de balas na esquina, os cachorros da vizinhança. E no fim da rua, o pessoal coloca cadeiras na porta pra conversar!

Ainda assim, sempre mantive uma crítica à zona norte: faltam áreas de lazer. Não existem parques e o único lugar pra correr ou andar de bicicleta é em volta do Maracanã, cercado de carros despejando poluição no ar e quase sem árvores. Por isso sempre levo meus cães no domingo para passear na Lagoa. Hoje, no entanto, achei melhor não leva-los longe em virtude da instabilidade do tempo. Como eles precisavam passear, meu marido sugeriu uma praça próxima de casa, conhecida como a Praça dos Cavalinhos. Já havia estado lá antes, mas apenas para almoçar num restaurante que faz um bacalhau divino. Nunca tinha ido à praça em si. E lá fomos nós: eu, os cães, meu marido e minha enteada.

Típico programa de família suburbana. A praça tem um enorme chafariz, brinquedos tradicionais e brinquedos de aluguel, como cama elástica, velocípedes elétricos, etc. O ponto mais marcante, e que confere o famoso apelido ao local são os cavalos e pôneis para aluguel. Havia um monte de crianças desfrutando de todas as opções de lazer, acompanhadas por pais e avós, aproveitando para consumir, à moda antiga, pipoca, algodão-doce e sacolé. Avistei até mesmo uma família fazendo piquenique! Os cães adoraram tomar água de coco e dar uma cheiradinha nos cavalos.

Quando a fome apertou, fomos para o próximo programa família suburbana do dia: almoço na padaria, com direito a macarrão, frango assado e coca-cola de 1 litro.

Eu mal pude acreditar em quão suburbana estava!

Foi ótimo poder fazer coisas que muitas vezes critiquei, mas que no fundo acho uma delícia.

Para fechar o post sobre o estilo de vida suburbano, deixo uma indicação de um blog que já me proporcionou muita risada: Suburbia Tales.

4 Comments:

Blogger Fabiano Roberto said...

um paulista comentando lugares do Rio isso é o fim da picada rsrs.
mas é muito importante sabermos aproveitar as coisas simples da vida como um passeio em familia, acho que esse é o real sentido dessa vida, valorizar as pessoas.

12/11/06 20:52  
Anonymous Lanark said...

Ah... o subúrbio!

Eu moro em Pilares. Bem mais subúrbio que a Tijuca. Mas tenho que admitir que existem lugares mais suburbanos do que Pilares. Enfim, é muito interessante essa coisa de Sul X Norte. Eu já trabalhei e estudei na Zona Sul, e pra morar, acho que a Zona Sul deve sre bem melhor. Mas na prática, pra mim não faria muita diferença. Eu quase não saio de casa mesmo.

13/11/06 10:23  
Blogger Miss Supahstah said...

Ah, eu não acredito que exista de verdade uma coisa igual à Grande Família!!! Mentira!! hehehehe...
Legal demais... Mas não sei se iria gostar não! Deve ser interessante passar uns dias, hehe!
Mas é tranquilo assim mesmo??? Casa de muro baixo e tal??

13/11/06 20:22  
Blogger Amelie said...

Aqui em São Paulo não existe essa divisão tão rígida... Você pode morar numa rua de interior, com quintal com árvores e tudo mais, e dar dois passos para estar numa avenida movimentada, cheia de edifícios de vidro, camelôs e tudo mais...

Adorei o post.

Abraço

15/11/06 16:22  

Postar um comentário

<< Home

Loading...