27 novembro 2006

Problemas, problemas, problemas


Será que algum dos meus queridos leitores é capaz de me dizer porque problemas vêm em lotes e sempre nos piores momentos possíveis?

Querendo eu ou não, minha vida está completamente voltada para o bendito casamento do meu irmão na 6ª feira (e os gastos no meu cartão de crédito também). Por causa dele, cheguei tarde pra burro em casa na 4ª feira, quando fui atrás de brincos bonitos e baratos para usar na cerimônia. Na 5ª feira também cheguei tarde porque fiquei no salão pintando o cabelo das 18 às 22 horas. Acordei morta na 6ª, mesmo assim atendi uma cliente e participei de uma festinha surpresa no escritório. No final da tarde ainda precisava levar no conserto o celular do meu marido, que caiu e parou de funcionar, e levar meu cachorro na tosa, mas fui interceptada por uma ligação da empregada avisando que ele estava vomitando e com diarréia. O cretino destruiu, por diversão, uma sacola plástica, acabou engolindo uns pedaços e isso causou uma gastroenterite. Resultado: uma conta de R$ 68,00 no veterinário e uma noite muito mal dormida, com o bicho vomitando e evacuando. Sábado levei em outro veterinário, em quem confio mais, mas que sempre está com a sala de espera lotada. Lá permanecemos até 14 horas, eu morta de fome, sem café da manhã. R$ 50,00 na clínica e mais R$ 65,00 na farmácia (quero só ver como vou pagar a fatura do cartão de crédito!), logo após o que descubro que o peludo, que ficou no carro enquanto eu comprava os remédios, não conseguiu segurar e cagou todo o banco de trás. Como estava doente, não pude nem brigar. Passei o resto do sábado limpando cocô, dando remédios e soro de meia em meia hora. No entanto, neste mesmo dia deveria ter ido ao casamento do meu irmão no cartório (dia 1º será o religioso), além de buscar a minha enteada para passar o final de semana, levar os cães ao treino de agility, pegar o vestido do casório na loja em Niterói, e claro, lavar os bancos do carro. Não fiz nada disso. Fui dormir às 23h, horário do último remédio do dia, pra no domingo acordar às 7, hora do primeiro remédio do dia. Pelo menos não precisei levantar pra limpar vômito e diarréia. Ontem ainda fui buscar a enteada no carro cagado e encarei almoço comunitário na igreja, na companhia da sogra. Depois de devolver a enteada, enfim uma coisa boa. Meu marido ganhou um celular novo numa promoção. Aproveitamos a ida ao shopping para buscar o celular e tentamos lavar os bancos (mais R$ 80,00 no cartão), mas a loja já havia encerrado o atendimento. Voltamos para casa com o carro cagado, mas pelo menos com celular novo.

3 Comments:

Blogger Miss Supahstah said...

Menina, quanto Murphy na sua vida!
hehheeh!
Tadinho do cachorrinho... Ele já melhorou, né?

Educação Artística? Uau!!! Legal demais!
E finalmente alguém que entende a minha neura com a escala, hehehe!

27/11/06 19:43  
Blogger Persona Livre*** said...

Nossa!!! bem dizer por que, eu não sei, mas que urucubaca heim.. boa sorte!!!!!!!!!!!!!

27/11/06 21:10  
Anonymous Lanark said...

No seu lugar eu teria mandado comprar outros bancos ao invés de limpá-los.

Maré de azar é um saco mesmo. Espero que as coisas se consertem pra você.

28/11/06 10:21  

Postar um comentário

<< Home

Loading...