15 janeiro 2007

Marido na lama

Recuperada da minha crise de preocupação com o futuro, vou contar um episódio marcante da viagem de férias, senão o mais marcante de todos.

Em Paraty existe uma praia que tem lama medicinal (pelo menos é o que dizem). Já estivemos nela antes, mas nunca fomos até o final, onde fica a lama. Na verdade, em toda a extensão da praia, a fundo do mar é lodoso. É meio nojento quando você pisa, mas o mar calmo compensa o sacrifício de sentir aquele troço "eca" sob os seus pés. Desta vez eu estava resolvida a experimentar um banho de lama. A idéia não tem nada de original. As pessoas caminham até o final da praia e você, que está por lá tomando um solzinho, comendo uma casquinha de siri, toda hora vê uma imitação de monstro do pântano passando, coberto de lama dos pés à cabeça. No Carnaval existe até o bloco da lama, em que os participantes saem pela cidade cobertos de lama e cantando UGA UGA.

Depois de dourar no mormaço um tempo (conhecem aquela do "mormaço queima"?), caminhamos até o final da praia. Eu, meu marido e um casal de amigos que fizemos na pousada. A mais empolgada com a perspectiva do banho de lama era eu. Quando chegamos lá, havia outras pessoas se banhando. No canto da praia a água do mar se transforma em lama. Um fenômeno curioso, que deve ser causado pela existência de um mangue vizinho, encoberto pela vegetação. Fiquei olhando aquela água que se transformava em lama cinzenta e imaginando a sensação que aquela substância molenga e pegajosa produziria ao entrar em contato com a minha pele. Simplesmente fui incapaz de sequer me aproximar da lama. Nossa amiga, psicóloga, explicou que aquilo evoca a relação que todos nós desenvolvemos com a nossa própria merda quando somos bebês. Já estudei sobre isso, aquele papo freudiano de fase anal, mas não houve teoria psicológica capaz de me fazer encostar naquele troço. Argh!

Fiquei lá travada, igual a um 486 rodando Windows ME. Fui retirada do meu travamento pela surpresa de ver minha amiga entrando (e afundando) na lama. Toda animada e acreditando fervorosamente que a substância possui propriedades medicinais, ela começou passando lama nas pernas, se empolgou e passou no cabelo, depois nos braços, até estar completamente cinza.

Mas chocada mesmo fiquei quando meu marido, meu próprio marido, entrou naquela merda, quer dizer, lama. Ele, que ao chegar lá não parecia nem um pouco disposto a "banhar-se", enfiou primeiro as pernas e também foi se empolgando e se enlameando cada vez mais. Pra não ficar lá parada como um espantalho, peguei a câmera e comecei a filmar. O vídeo está aí ao lado, provando que foi tudo verdade, pra quem não acreditar que existem seres humanos capazes de se melecarem com uma substância extremamente parecida com cocô e ainda acharem bom.

Será que se fizer alguns anos de análise serei capaz de resolver a minha fase anal e tomar banho de lama como uma pessoa (a)normal?

5 Comments:

Blogger Miss Supahstah said...

hahahahahah!!!! Que eca essa coisa de lama! Tô fora! E não acredito em nenhuma propriedade medicinal que ela possa ter!!

Mas o mais legal deve ter sido a cena, todo mundo indo afundar na lama, hahahahaah!!!

16/1/07 00:35  
Blogger Caroline Bigarel said...

É, como disseram aqui em cima, tbm não acredito nas propriedades medicinais da lama. Só acho-a nojenta.

Mas pelo menos vc se divertiu. ¬¬

17/1/07 13:58  
Blogger Lanark said...

Hehehehe

Bizarro.

17/1/07 22:59  
Anonymous Anônimo said...

Hahaha, mas se dissessem que faz milagre pro cabelo pularia de cabeça! Sem terror. Analise pra mim seria se eu pudesse entender a tara por milagres da cosméticas.
Um beijo grande!

18/1/07 02:13  
Blogger natalia regia said...

engraçado,comecei uma affair de verão la no mangue..no meio da lama..foi tão bom!!kkkkkk!

18/1/07 13:28  

Postar um comentário

<< Home

Loading...